quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Dead Can Dance em Portugal a 28 de Maio de 2013



Informação recebida por mail. Inicio da tournée é no Coliseu dos Recreios em Lisboa.

Quero ir!

Dead Can Dance - Chile Dates Announced










Hello All,
We are excited to announce that Dead Can Dance will be returning to Europe in 2013, as part of theAnastasis World Tour.
The list of European shows for 2013 can be found below. There will be more dates to follow shortly. All tickets go onsale on Friday 16th November unless otherwise stated on the ticket link.

May 28th – Lisbon Coliseu – Lisbon, PORTUGAL 
June 2nd – Teatro Romano Di Fiesole – Florence, ITALY 
June 3rd - Kongresshaus - Zurich, SWITZERLAND 
June 5th – Auditorium Conciliazione – Rome, ITALY
June 6th – Gran Teatro Geox – Padua, ITALY 
June 16th - Junge Garde - Dresden, GERMANY 
June 17th - Zitadelle - Berlin, GERMANY 
June 19th - Stadtpark - Hamburg, GERMANY 
June 21st - Amphitheater - Gelsenkirchen, GERMANY
June 22nd – Forest National – Brussels, BELGIUM
June 24th – Heineken Music Hall – Amsterdam, NETHERLANDS
June 27th – Fourviere Nights Festival - Lyon, FRANCE
June 29th – Festival de Nîmes - Nimes, FRANCE 
June 30th - Le Zenith - Paris, FRANCE


See you soon!
Dead Can Dance


© Dead Can Dance 

domingo, 11 de novembro de 2012

Quinta à noite no CCB

Grande espectáculo! Dos melhores concertos que já vi!

Fotografia © Carlos Manuel Martins / Global Imagens

Grande Auditório do Centro Cultural de Belém encheu para ouvir Peter Hook a interpretar os temas da banda de Manchester.
As cadeiras de uma sala como o Grande Auditório do Centro Cultural de Belém impõem uma certa formalidade que não se coaduna com um concerto rock'n'roll. Mas ontem à noite os fãs de Joy Division (tanto aqueles que provavelmente os viveram quando ainda existam, como os outros que se tornaram admiradores já depois da morte de Ian Curtis) não se fizeram rogados e tomaram conta da frente do palco.
Peter Hook tinha prometido que este concerto seria "apenas" uma celebração da memória e da música dos Joy Division. E foi o que fez, sem nunca querer colar-se à figura inimitável e paradigmática que foi Ian Curtis. Poucas palavras trocou com a plateia. Não era necessário. O que unia público e músicos naquele momento era a nostalgia pelo que foram os Joy Division.
O baixista, que no CCB se dedicou mais à interpretação das palavras de Ian Curtis do que às linhas de baixo, fez-se acompanhar por uma banda competente, que tocou as canções do grupo de Manchester tal como as conhecemos em disco.
She's Lost Control e Shadowplay foram dos momentos mais vibrantes. Hook não escondeu a emoção quando deu voz a I Remember Nothing, que assinalou a primeira saída de palco. Não faltaram temas emblemáticos, como Transmission ou Love Will Tear Us Apart, com Peter Hook a aproximar-se dos seus admiradores em clara comunhão.
Independentemente das razões que terão levado o músico a fazer estes concertos de celebração dos Joy Division, que começaram há dois anos, a verdade é que os fãs da banda estão ainda ávidos para ouvir ao vivo algumas das canções mais influentes da cultura pop dos últimos 35 anos.

in JN 

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

“UNKNOWN PLEASURES” UMA CELEBRAÇÃO DOS JOY DIVISION

Amanhã, 8 de Novembro no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém.


PETER HOOK & THE LIGHT 



Com os The Light, Peter Hook trará ao Misty Fest um espectáculo que homenageia a memória dos Joy Division, tocando nalguns dos mais importantes pontos do reportório da mítica banda de Manchester.
Peter Hook, que esteve desde o início ao lado de Bernard Sumner na aventura Joy Division e que foi uma figura central nos New Order depois do trágico suicídio de Ian Curtis em 1980, ajudou a transformar o baixo num instrumento icónico, graças a um estilo muito particular, mais melódico do que o usual.
A banda The Light – que tocou na inauguração do clube FAC 251, instalado no antigo quartel-general da mítica Factory, em Manchester, que inspirou Control, filme iluminador do caminho de inúmeros grupos por todo o globo, que fez de Closer e de Unknown Pleasures autênticos tratados pop carregados de melancolia, de dor e de paixão – será o veículo para uma viagem de celebração dos Joy Division, ainda hoje um dos mais duradouros casos de culto gerados pela música pop.





Eu vou, claro!